Pós-Aula 29.03.17 – Epistemologia e Educação

Nossa aula de Epistemologia e Educação, hoje, foi acarinhada pelo texto do filósofo José Américo Motta Pessanha (1932-1993)*. O texto “Filosofia e Modernidade, racionalidade, imaginação e ética” foi conferência realizada na 15a Reunião Anual da ANPEd no ano de 1992. O escrito é convite para um mergulho na história da cientificidade ocidental e nas múltiplas tensões que constituíram a modernidade e as formas de conhecer que se tornaram hegemônicas. Mas, na mesma profundidade, o texto nos permite caminhar para o reconhecimento do lugar que a imaginação pode ocupar na constituição de modelos científicos em sociedades democráticas. O livreto com o texto de Pessanha está disponível na Internet e nele pode se encontrar também outras duas significativas conferências, a de Mirian Jorge Warde – História e Modernidade ou de como tudo parece em construção e já é ruína”; e a conferência de Francisco Correia Weffort – “Trajetórias do pensamento político e os desafios da Democracia”. Acesse aqui o “Cadernos ANPEd n. 4 – Setembro – 1993”.

* José Américo Motta Pessanha Nasceu em Campos em 1932 e faleceu em 1993 no Rio de Janeiro. Estudante da faculdade de Filosofia na década de 60, foi exilado e continuou seus estudos em Paris. Quando retornou ao país, iniciou a organização da coleção Os Pensadores, da Editora Abril, como também se dedicou ao magistério de filosofia no IFCS e na fundação Getúlio Vargas.Grande Pensador, infatigável batalhador da cultura na Secretaria de Cultura em São Paulo, deixou importantes publicações e conferências em videos. Fonte: Comunidade José Américo Motta Pessanha.

Acesse aqui apresentação de sua bibliografia e Tese apresentada para o concurso de Professor Catedrático de História da Filosofia da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, intitulada “EMPÉDOCLES E A DEMOCRACIA” (1965).

****

A seguir algumas das referências que circularam em nossa aula:

Estatuetas_Bijago

Estatuetas dos nativos do Arquipélago dos Bijagós – Guiné Bissau

As estatuetas nos ajudaram a pensar sobre as representações que nos “invadem” ao primeiro olhar sobre o “outro”. Sobre isso, citei meu artigo  “É preciso “fazer diferença” na escola pública brasileira“.

***

O documentário que realizamos em missão de pesquisa na Guiné Bissau pode ser visto aqui no Blog:

O documentário, filmado no ano de 2012, traz entrevistas com o cineasta Flora Gomes, diretor de filmes emblemáticos sobre Guiné Bissau e as lutas pela emancipação dos países e culturas em África. E também depoimentos de gestores, educadores e jovens que tratam dos desafios econômicos, sociais, culturais para a constituição de um sistema educativo que contribua para que Guiné Bissau supere históricas dificuldades deixadas pelo domínio colonial português. Gravações realizadas em diferentes tipos de instituições educativas revelam a convivência da oferta educacional pública com modelos educacionais de base comunitária e religiosa.

***

Inauguramos nesta aula nossa Capsula do Tempo. Este será nosso dispositivo para a recolha de objetos de afetos e memórias que alimentaremos em cada uma das aulas e reencontraremos ao final do curso. Como dito, a capsula é inspirada no experimento do multiartista americano Andy Warhol. Saiba mais sobre a capsula do tempo de Andy Warhol

Leia o artigo The secrets of Andy Warhol’s time capsules (BBC – Magazine)

Conheça o projeto Comuniarte – Morro do Palácio aonde utilizamos a Capsula do Tempo

Visite  o Andy Warhol Museum e a reportagem Andy Warhol e a arca perdida

****

E foram citados os seguintes filmes: “Descartes” que apresenta importantes extratos do pensador e autor de O Discurso do Método (1637) e Meditações Metafísicas (1641).  As loucuras do Rei Jorge, lembrado para exemplificar o modo como os antigos médicos estabeleciam seus diagnósticos em “íntimo” contato com o corpo do paciente, no caso em questão o Rei Jorge Jorge III (1760-1820), último monarca do Antigo Regime inglês.

Descartes (de Roberto Rosselini). Fonte: Youtube.

As loucuras do Rei Jorge.

 

E o filme “O Físico”. Acesse aqui resenha sobre o mesmo.

***

Ainda sobre a “descoberta” do corpo na Idade Média, foi citado o livro “O Anatomista”. Acesse aqui a resenha “Federico Andahazi e “O Anatomista”: o descobridor da pátria de vênus“.

 

6 comentários em “Pós-Aula 29.03.17 – Epistemologia e Educação

  1. Parabéns, Prof.º Carrano!
    Suas aulas nos proporcionam uma viagem pelo conhecimento de forma contagiante e libertadora.
    Dialogar sobre acontecimentos e fatos evidenciam as tramas e realidades de uma sociedade repleta de diversidade, que com ética e racionalidade, contribuirão para um saber-fazer pleno e mais significativo.

    Curtir

  2. Parabéns professor Carrano por seu dinamismo, ideais e organização! Compartilho neste espaço a poesia do Thiago de Mello, declamada durante a aula:

    As ensinanças da dúvida

    Tive um chão (mas já faz tempo)
    todo feito de certezas
    tão duras como lajedos.

    Agora (o tempo é que fez)
    tenho um caminho de barro
    umedecido de dúvidas.

    Mas nele (devagar vou)
    me cresce funda a certeza
    de que vale a pena o amor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s